Foram analisados os Programas de Governo dos 8 candidatos ao Governo do Estado de Minas Gerais no tema de mobilidade metropolitana. Na disputa pelo voto do cidadão brasileiro, os candidatos e candidatas apresentam suas iniciativas realizadas no passado, propostas e projetos para o futuro, fazem promessas e, entre outras ações, registram seus programas (ou planos) de governo no Tribunal Superior Eleitoral – TSE. Os planos estão disponíveis no sítio do órgão: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2018/divulgacandcontas.

Os resultados da análise completa podem se acessados neste documento: Análise dos Programas de Governo – MG.

Os programas de governo podem servir como instrumentos à sociedade para compreender, em linhas gerais, como determinado candidato se portará durante seu mandato, se eleito. Os candidatos não têm um padrão específico de programa de governo para ser apresentado. Dessa forma, para o cargo de Governador, há programas altamente distintos em conteúdo, forma e ideologia.

Os diversos atores sociais podem recorrer aos planos para subsidiar sua rede de contatos com informações relevantes sobre determinado tema, para se informarem sobre qual candidato dispõe de mais ações e projetos em áreas afins e outras tantas funcionalidades. Os programas de governo são documentos públicos e, como tal, estão à disposição para que a sociedade, em suas diversas articulações e conexões, se apodere deles e incida politicamente nos assuntos que lhe for interessante.

A metodologia

O programa de governo de cada candidato foi lido à luz dos cinco eixos do programa #D1Passo na Metrópole: estrutura e coerência do território da metrópole, andar e pedalar (como parte da trama multicolorida), mobilidade coletiva, cargas e gestão e recursos (governança e participação). Além dos cinco eixos, buscou-se identificar menções à questão das mudanças climáticas e qualidade do ar no estado.

Para cada um dos temas, a análise buscou avaliar se havia algum diagnóstico ou diretriz da situação, bem como propostas concretas.